-----PERDOAR PARA QUaŠ?
  "O PERDaO É O CAMINHO PARA A PAZ INTERIOR   PARA QUE SERVE O PERDaO? O perdão liberta-nos do passado. O perdão permite dissolver as crenças que nos aprisionam. O perdão oferece a possibilidade da paz interior. Quando perdoamos e somos perdoados, as nossas vidas transformam-se. As doces promessas do perdão são mantidas. E começamos uma nova relação connosco e com o mundo.                         O que o Perdão não é: Perdão não é fechar os olhos para a falta de amabilidade. Perdão não significa indiferença ou inércia perante a violação de direitos pessoais ou sociais. Perdão não precisa de ser uma experiência religiosa ou sobrenatural. Perdão não significa reconciliar-se com o autor da afronta. Perdão não significa desistir de ter sentimentos.     O PERDaO É ANTES UMA ATITUDE INTERNA QUE OPERA UMA MUDANÇA DE PERCEPÇaO DO EU, DO OUTRO E DAS CIRCUNSTaNCIAS.   EFEITOS DO PERDaO O perdão permite viver a vida sem mágoas. Livres do passado e sem recear o futuro. Por isso alivia e previne o stress. O perdão cura sintomas físicos e doenças. O perdão ancora a aceitação, permite viver o momento presente e a fluir e a confiar no processo da vida. O perdão liberta-nos do ressentimento e do sentimento de culpa e da raiva. Abre-nos a porta para a expressão assertiva e adequada da nossa raiva. Pessoas que culpam outras pelos seus problemas ou dificuldades apresentam índices mais altos de doenças cardiovasculares e cancro. Mesmo quem já sofreu perdas devastadoras pode e deve aprender a perdoar; tal atitude irá possibilitar-lhes aliviar e curar os sentimentos de perda e acelerar o normal fluir do bem e da prosperidade nas suas vidas.     AUTO-PERDaO O MAIOR DESAFIO: Perdoar a si mesmo é o maior desafio a vivenciar, é o processo de aprender a amar-se e a aceitar-se a si mesmo. Para além disso, só somos capazes de perdoar os outros quando aprendemos a perdoar a nós mesmos. No auto-perdão, costuma haver uma grande resistência, pois ele requer uma mudança de atitude significativa, uma morte. Que morte é essa? É um morrer para os velhos hábitos, morrer para a culpa, a vergonha e a auto-crítica, a auto comiseração, o ressentimento e o “coitadinho de mim”. Quantas vezes condicionamos o auto-perdão a circunstâncias diferentes do momento? O auto -perdão pressupõe uma tremenda honestidade para consigo mesmo na determinação de qual autocrítica, ou qual crença limitativa é preciso abandonar para nos podermos perdoar? O auto-perdão é um grande renascimento. Permite-te. Mas, RESPONSABILIZA-TE…. Constrói o teu caminhar de forma a sempre perdoar e ser perdoado. O perdão é o caminho para a paz interior e para a tua autenticidade. Que a paz interior banhe as margens do teu caminho.     Todos nós erramos, ninguém duvida, embora cada um de nós tenha uma divisão marcante a respeito da classificação dos erros – graves ou não graves. A distinção entre erros ‘perdoáveis e não perdoáveis’ produz uma grande confusão quando pensamos na viabilidade do perdão. O que não nos deveria surpreender é que, de acordo com a cultura, educação e situações diferentes, esta classificação muda de indivíduo para indivíduo e muitas das vezes até sofre modificações num mesmo indivíduo, dependendo do seu estado.   Todas as pessoas fazem o melhor que podem. Muitos podem discordar desta afirmação. Mas, vou propor aos que discordam que pensem no seguinte: todos fazem o melhor que podem de acordo com a percepção do meio em que estão e do nível de compreensão do momento (isso é particularmente importante) – ou seja, todos nós, se soubéssemos ‘como’, faríamos de forma diferente em muitas ocasiões.   Partindo então das considerações acima efectuadas, vemos que o nosso mundo é realmente um mundo de enganos. E cada engano pode ser percebido e entendido de várias maneiras. O que é relevante é percebermos que quando nos sentimos feridos ou prejudicados de alguma forma, não nos lembramos de nada disto: nem das considerações acima efectuadas, nem do facto de que o que estamos a perceber é a nossa forma particular de perceber – outra pessoa poderia não se importar com algo que nos ofendeu ou magoou.   Seguindo esta análise, existe a necessidade de pararmos para olhar para o que estamos a sentir quando não abrimos mão das nossas mágoas e dores...   Não nos abrirmos para o perdão ‘porque quem nos feriu não o merece’ é um ditado do mundo, o qual nos sentimos justificados em aceitar, mesmo quando nos percebemos em intenso sofrimento causado pela nossa insistência em manter as memórias dolorosas.   Após este breve ‘raciocínio’, podemos perguntar-nos agora: como perdoar?   O perdão é uma memória selectiva: “perdoar é meramente lembrar apenas os pensamentos amorosos que deste no passado e aqueles que te foram dados. O resto tem que ser esquecido”. E mais: “O perdão é uma lembrança selectiva que não se baseia na tua própria selecção." (UCEM-T-17.III.1:1-3)   O perdão no mundo é sempre selectivo e a selecção é feita por cada um de nós, tanto das pessoas a serem perdoadas quanto dos factos. Nós precisamos de alguém de ‘fora’ do nosso sistema de pensamentos para fazer a selecção dos pensamentos amorosos por nós. Pensemos nos vários motivos para que isso aconteça.   Todos estão sujeitos aos erros – às vezes em comportamento, às vezes apenas em pensamento. Se todos cometemos erros e estamos a querer acertar, o perdão não pode ser selectivo: todos estão sob a mesma lei. Mas, nós aprendemos a seleccionar. Então, esse aprendizado está automatizado.   Falando sobre o termo memória, ele é bastante pertinente porque o motivo para a grande maioria das nossas dores está apenas na memória. Normalmente sentimo-nos doloridos por uma situação que está no passado, portanto, na memória.   Se estivermos realmente abertos ao exercício do perdão, vamos experimentar, pelo menos, alguns instantes de paz. Isto também é um aprendizado. Conforme vamos ‘coleccionando’ instantes de paz, pontos de memória vão-se juntando e formando um caminho de fácil acesso para as nossas mentes.   Assim, um dia, este processo acontecerá sem nenhum esforço: ainda nos lembraremos da situação ou da pessoa que nos feriu, mas já não teremos mais a carga emocional que tanto nos prejudicava.   Mas, para que continuemos o nosso caminho para a racionalidade do perdão, pensemos o seguinte: quem é que realmente beneficia com o perdão? – Aquele a quem eu perdoo ou eu, que ficarei livre dos pensamentos e sentimentos devastadores e pesarosos?   O perdão é um processo. Precisamos entender, pensar e chegar a um ‘veredicto’ sobre o porquê praticá-lo, para então começarmos a pô-lo em prática.   Trazendo o raciocínio para mais perto da nossa vivência, vamos lembrar: as outras pessoas não podem saber o que nós exactamente sentimos. Quando nós sentimos raiva, esta não ‘pesa’ no outro, não ‘vai’ para o outro. As outras pessoas não podem saber o que sentimos, ou qual a intensidade do que sentimos...   Todos temos o ‘direito’ de sentir raiva, ódio, tristeza, desapontamento – são emoções comuns a todos. O que estamos a pensar agora é que será sábio se sentirmos tudo isto apenas no momento da situação desencadeante, porque não estaremos a esconder as emoções de nós mesmos. Será muito sábio também, se nomearmos e aceitarmos tudo o que sentimos. Mas, atenção, são coisas bem diferentes: olhar para o que sentimos não é o estímulo do ressentir – é disto que estamos a falar. O ressentimento serve para nos prender ao passado, fazer com que nos tornemos uma vítima de alguém, ou de uma situação que, neste momento, não nos prejudica mais – porque esta situação neste momento não existe.   Este raciocínio aplica-se à culpa. Tudo o que falamos e pensamos a respeito do perdão em relação a alguém é absoluta e intrinsecamente válido e aplicável para o auto-perdão."       in, Um Curso Em Milagres

Setúbal - Setúbal - Setúbal - 2910-420Area - 98 m² Preço: 65.000 € Descrição - Armazém | Av. Infante D. Henrique Armazém amplo com 101,15 m2 de área com instalações sanitárias destinado a comércio e serviços. Este imóvel está situado no Bairro da Conceição, zona calma, com estacionamento em praceta ampla. Marque a sua visita, venha conhecer esta oportunidade de investimento estamos à sua espera! Área útil: 98,03 m2 CE: B- Lic. AMI: 11745

Lisboa - Sintra - Agualva - 2735-154Area - 90 m² Preço: 100.000 € Descrição - Apartamento com 2 quartos, casa de banho, sala comum, cozinha e varanda espaçosa. Este apartamento tem estores elétricos, som ambiente, aquecimento central na sala, roupeiros embutidos. O imóvel está localizado junto a vários serviços e comércios, bem como ao nó da IC19 e à linha do metro. Não perca esta oportunidade de adquirir um imóvel a escassos minutos da grande Lisboa. Apartment with 2 bedrooms, bathroom, living room, kitchen and spacious balcony. This apartment has electric shutters, integrated sound system, central heating in the living room, fitted wardrobes. The property is located next to various services and commerce, as well as the IC19 junction and the subway. Do not miss this opportunity to purchase a property just minutes from Lisbon.

Ano Pessoal 8 em 2017

Ano Pessoal 8 em 2017   O Ano Pessoal 8 é o oitavo ano de qualquer ciclo novenal. Se se encontra em Ano Pessoal 8 significa que 2010 foi o ano em que...

Numerologia em Directo - Fevereiro 2018

 Este é o primeiro de uma série de videos sobre a Numerologia de 2018....

Carta do dia 10/01/2017

   Créditos: Doreen Virtue, Conselhos Diários dos seus Anjos...

Partners
Ultimas fotos

Lisboa - Mafra - Mafra - Area - 630 m² Preço: 97.500 € Descrição - Lote plano para construção, com projeto aprovado para uma moradia isolada de dois pisos com 4 quartos, inserido numa aldeia pacata com ampla vista de campo, a cerca de 10 minutos das praias da Ericeira. Dispõe de licença a pagamento.Lote com área de 630 m2, que permite a construção de moradia isolada, com área bruta máxima de construção de 208,78 m2, tendo como área de implantação máxima de 108,62 m2, distribuídos em 2 pisos, permitindo ainda a construção de anexos, com área de 22,59m2.Lote inserido em urbanização sem projeto tipo, com infraestruturas, tais como: iluminação pública, saneamento básico.O projeto encontra-se aprovado com licença a pagamento.*A informação disponibilizada não dispensa a consulta de um técnico especializado e /ou parecer das Autoridades competentes. ** Toda a informação disponível não dispensa a confirmação por parte da mediadora bem como a consulta da documentação do imóvel. *Esta região, conhecida como zona saloia, permite desacelerar do quotidiano citadino mantendo um ritmo de vida agradável e um apetecível lifestyle.Localizada a cerca de 20 minutos de Lisboa, acessos: A8 e A21.'Onde o mar é mais azul' ? Ericeira, foi eleita em 2018 a 2ª melhor freguesia de Lisboa para viver, estando em análise segurança, acessos e espaços de lazer. Entre costumes e tradições, a Ericeira é terra de marisco e surf.O 3º lugar foi atribuído à freguesia de Mafra, sede de concelho (atualmente com 11 freguesias).Uma vila rica em história, marcada pela construção do Palácio Nacional de Mafra, contudo voltada para as necessidades do dia-a-dia moderno.

Setúbal - Setúbal - Setúbal - 2900-002Area - 99 m² Preço: 78.500 € Descrição - Apartamento T2 | Bairro Vila Maria Apresento este apartamento de 3 assoalhadas em ótimo estado de conservação, com a melhor exposição solar (nascente/poente), situado numa zona calma e residencial. O imóvel é composto por 2 quartos, cozinha, despensa, sala, casa de banho completa e varanda. Inserido em prédio sem elevador num 1º andar, com bons acessos para o centro da cidade e autoestrada, tem comércio local e transporte para o centro da cidade. Dispõe de arrecadação no último andar. Marque já a sua visita, venha conhecer a sua próxima casa! Área útil: 68 m2 CE: C Lic. AMI: 11745

Inspiration Site